Atualmente, as nossas principais demandas do dia a dia são resolvidas através de um aplicativo de mensagens instantâneas. Por essa razão, questões que envolvem a segurança destas funcionalidades precisam ser avaliadas. É aí que entra a criptografia.

Mensagens criptografadas: uma medida efetiva para sua segurança! Atualmente, as nossas principais demandas do dia a dia são resolvidas através de um aplicativo de mensagens instantâneas. Desde recados de trabalhos àquela conferida para saber se está tudo bem em casa, estes apps ditam a nossa rotina. Por essa razão, questões que envolvem a segurança destas funcionalidades precisam ser avaliadas. É aí que entra a criptografia.

 

Mensagens criptografadas: o que são?

As mensagens criptografadas são dados que sofreram um processo de codificação para impedir que qualquer outro indivíduo ou sistema que não seja o destinatário tenha acesso àquele conteúdo. Você garante o sigilo absoluto das suas mensagens.

Um exemplo básico para entender como funciona um aplicativo sem criptografia na prática é o Facebook. Ele extrai seus dados de comportamento e suas buscas para filtrar o conteúdo e, principalmente, te apresentar anúncios pagos de acordo com seus interesses. Com a criptografia, nem mesmo presidentes da república ou os próprios criadores dos aplicativos podem ter acesso ao conteúdo que você compartilha.

O processo de criptografia pode ocorrer por dois diferentes métodos. São eles Criptografia de Chave Pública e Criptografia de Chave Privada. Na primeira, uma chave pública é descriptografada pelo usuário com uma chave privada correspondente. Já a outra, são utilizadas duas chaves privadas e, com isso, ambos podem criptografar e descriptografar as informações.

 

Mensagens criptografadas: o centro de um escândalo político

O Telegram foi fundado em 2013 pelos mesmos criadores da VKontakte, a maior rede social da Rússia. Ele surgiu com uma proposta semelhante à do WhatsApp: troca de mensagens instantâneas. No entanto, ainda não conseguiu atingir a mesma popularidade, exceto nos momentos em que o app de Mark Zuckerberg caiu ou foi barrado pela justiça brasileira.

Tanto o WhatsApp quanto o Telegram utilizam a criptografia de ponta a ponta. A diferença é que no primeiro as mensagens e arquivos ficam salvos apenas no celular do usuário. Já no segundo, tudo é guardado nas nuvens da empresa. Com isso, você pode logar e ter acesso completo ao aplicativo de vários dispositivos simultaneamente.

Como diferencial, o aplicativo russo se vende como o mais seguro do mercado, especialmente, pela possibilidade de um chat secreto. No entanto, esta forma de armazenamento causa vulnerabilidades. O fato é que o Telegram foi o aplicativo utilizado pelo atual Ministro da Justiça Sérgio Moro nas conversas vazadas no tempo em que ele era juiz federal e comandava a Operação Lava Jato, responsável pela prisão de diversos políticos e empresários envolvidos em esquemas de corrupção.

A Polícia Federal investiga o caso e a possibilidade de ação hacker é a principal hipótese. No entanto, o Telegram já se defendeu e descartou que o aplicativo tenha sofrido a ação de invasores. Com isso, é provável que o próprio aparelho celular do Ministro tenha sido invadido ou alvo de vírus ou que ele tenha negligenciado algum passo da verificação de segurança em duas etapas do app.

 

Mensagens criptografadas: como se proteger?

Existem aplicativos de mensagens que já utilizam criptografia ponta a ponta para o envio de mensagens. No entanto, você pode realizar isto pessoalmente através de aplicativos de celular e softwares de computador. Atualmente, o algoritmo utilizado para realizar este processo se chama cifra, que converte os caracteres em símbolos ou letras aleatórias, tornando a mensagem ilegível para os que não tem acesso à chave especial.

Entre os aplicativos mais populares que já criptografam suas mensagens, estão o iMessage (serviço de mensagens para usuários de iOS), o Telegram e o WhatsApp, que adotou a medida apenas em 2016. Ainda emergentes em notoriedade, o Signal e o Wickr Me são mais alguns dos exemplos de apps que adotaram a criptografia como medida de segurança.

 

Città Telecom

Estamos também nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin