Projeto Loon: uma iniciativa de democratização de acesso à internet!

Projeto Loon: uma iniciativa de democratização de acesso à internet! Seu lazer, seus projetos e até o pagamento das suas contas, hoje, dependem diretamente de uma boa internet. Você sabe o caos que sua vida se transforma quando fica sem conexão por algumas horas. Pois saiba que essa ainda é a realidade permanente de diversas nações ao redor do mundo. 

Alguns países têm suas conexões limitadas devido à censura de regimes ditatoriais, a exemplo da Coreia do Norte, onde todos os endereços estão sob o controle do governo e apenas 4% da população têm acesso à internet. No entanto, existem locais do mundo com acesso restrito devido a questões logísticas, como inviabilidade da construção de torres e antenas. É nesses locais que o Projeto Loon quer impactar! 

 

Projeto Loon: o que é? 

O Projeto Loon é uma iniciativa de pesquisa e desenvolvimento para levar internet até áreas rurais e remotas. Isto é possível graças ao lançamento de balões de plástico. Eles são alçados a uma altitude de 20 km, são empurrados pelo vento e podem ficar flutuando pelo ar por até 100 dias. O objetivo é criar uma rede sem fio com velocidade de 4G.  

A troca de informações entre os balões cria uma rede capaz de gerar conexão para a superfície. Sem fios, os balões contam com um sistema capaz de se detectarem e, assim, se conectarem. Os estudos do Projeto Loon começaram em 2011, mas foi em 2018 que os objetos atingiram cobertura de uma distância de mil quilômetros. 

Os balões vivem em movimento constante e funcionam de forma autônoma. Apesar de contar com a supervisão de operadores, o sistema utiliza de inteligência artificial para os upgrades. Mesmo com o tamanho elevado – cerca de 20 metros, os balões não oferecem perigo, já que voam a altitude maior que a de aviões e pássaros. Eles carregam equipamentos de rede móvel que são alimentados por energia solar. O projeto foi pensado para funcionar de forma semelhante às torres. 

Além de democratizar o acesso à internet, o Projeto Loon já se mostrou um aliado em situações de emergência. Durante a crise causada pelo Furacão Maria, que devastou o Porto Rico, em 2017, o país perdeu parte da infraestrutura de telecomunicação. Graças aos balões, diversas regiões não ficaram incomunicáveis e puderam receber apoio e mobilização do mundo inteiro. Cerca de 100 mil pessoas conseguiram se conectar pelo serviço. 

O Projeto Loon é desenvolvido pela Alphabet, o grupo de empresas mais poderoso do mundo. Para quem não sabe, este conglomerado abrange o Google e o YouTube. Os balões criados para a iniciativa foram produzidos em parceria com a Força Aérea norte-americana. 

Apesar de os benefícios serem evidentes, as operadoras de telecomunicação ainda descredibilizam o projeto. Elas alegam que os balões não oferecem uma estrutura que proporcione lucro. A principal alegação destas empresas é justamente o fato de que os balões duram apenas 100 dias, além de estarem sucintos a ventos que causam instabilidade na conexão. 

 

Projeto Loon: já está funcionando?

O Brasil já foi palco de testes do Projeto Loon. Em 2013, balões foram soltos nas cidades de Teresina e Campo Maior, localizadas no Piauí. A escolha se deu pelos baixos índices de conexão apresentados pela região Nordeste. Segundo pesquisa divulgada em 2018 pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil, apenas 28 milhões de nordestinos estão conectados; metade dos usuários da região Sudeste. 

Em julho, o Projeto Loon recebe o primeiro teste comercial. Em parceria com a Telkom Kenya, uma provedora de telecomunicações integrada no Quênia, os balões vão levar internet a vilas localizadas em montanhas do país africano. Os habitantes terão à disposição serviço de 4G com preço de mercado por tempo indeterminado.

 

Città Telecom

Estamos também nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube