Black Friday vem aí! Nesse artigo, separamos os principais insights revelados pelo Google com relação à data. Dos segmentos mais visados aos benefícios esperados pelos clientes!

Black Friday: uma das datas mais importantes do ano, especialmente, para o segmento varejista, está se aproximando. Apesar das baixas sofridas pelo setor comercial em detrimento das medidas restritivas causadas pela pandemia do coronavírus, o evento, que acontece religiosamente na quarta sexta-feira de novembro, tem sido esperado com entusiasmo por diversos especialistas. 

Alguns primeiros insights foram divulgados pelo Google no último mês. A multinacional revelou através do evento “Temporada Black Friday” as principais tendências esperadas para 2020. Além disso, a empresa também anunciou o “Google Shopping”, onde marcas e varejistas poderão expor seus produtos em uma aba gratuita. A segunda edição do “Show da Black”, onde empresas e influenciadores farão quatro horas de transmissão, alternando com atos de entretenimento e promoções.

Nesse artigo, separamos os principais insights revelados pelo Google com relação à Black Friday que se aproxima. Dos segmentos mais visados aos benefícios esperados pelos clientes, a empresa antecipou diversos pontos que merecem a atenção do seu negócio na hora de planejar as promoções.

 

Black Friday: o que esperar de 2020?

O motivo do entusiasmo sobre a Black Friday 2020 se dá, principalmente, pela alta das vendas online no auge da quarentena e de como isso continuaria a se tornar um hábito corriqueiro. Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, realizada em maio, 70% dos consumidores pretendem continuar comprando online, impulsionados por 78% de experiências positivas com as compras remotas. 

Segundo o portal Canaltech, o e-commerce registrou uma alta recorde durante o período de quarentena, impulsionado, principalmente, pelas datas comemorativas, como Dia das Mães e Dia dos Namorados, celebrados com a maioria das lojas físicas fechadas. Alguns números divulgados pelo Google já reforçam essa tendência de compra. De acordo com os dados revelados pelo Big Tech, grupo que engloba as maiores gigantes da tecnologia no mundo – Google, Apple, Amazon e Facebook, de 29 categorias varejistas analisadas, 19 delas tiveram um volume de procura superior ao da semana da Black Friday do ano passado no período entre 26 de agosto e 22 de setembro. 

O Google credita esse crescimento a três segmentos específicos: eletrônico, móveis e alimentação. Tamanho aumento na procura pode indicar que esses sejam os grandes destaques da Black Friday 2020. Itens como televisão, celulares e eletrodomésticos, embora registrem pico de busca ainda abaixo do evento de 2019, foram mais buscados durante o período analisado do que antes da pandemia, o que pode antecipar uma grande procura durante a semana de descontos. 

O circuito mobiliário, que todo ano registra o seu pico de procuras no Google na semana do Black Friday, já teve seu pico superado entre agosto e setembro deste ano. O setor de móveis teve aumento de 22% de procura em relação à última edição da Black Friday, enquanto o segmento da decoração, subiu ainda mais: 51% de alta em relação à última edição do evento. 

Por fim, uma das categorias essenciais durante a pandemia parece que, finalmente, vai ganhar destaque na próxima Black Friday. O setor de bebidas e alimentação, que, segundo o Google, não registravam picos durante o evento, já presenciam um aumento de, respectivamente, 23% e 40% em comparação ao evento do ano anterior. 

 

Black Friday: o que faz os clientes comprarem?

Além dos segmentos, o relatório do Google antecipou também determinados comportamentos que levam os consumidores a comprar (ou não) na Black Friday. De acordo com o levantamento, o preço ainda é o principal diferencial na hora de levar um produto. A crise ocasionada pelo período de pandemia, inclusive, deixou o brasileiro ainda mais interessado por promoções. A multinacional relata aumento de 38% na busca por ofertas entre abril e julho em comparação ao mesmo período do ano passado.

O volume de buscas revelam também que descontos e cashbacks são sempre bem vindos. Embora o conceito dos programas de reembolso sejam novidade no Brasil, o número de interessados cresce a níveis avassaladores; por ano, tem ocorrido um aumento médio de 74% em procuras sobre o assunto, enquanto a busca por cupons, cresce 30% anualmente. 

Se o valor do frete já era um grande diferencial ao fechar uma compra, oferecê-lo de graça pode colocar a sua empresa muito à frente da concorrência. Isso porque, segundo o Google, o aumento da procura por “frete grátis” aumentou 118% só em julho, em comparação ao período de Black Friday do ano passado. As procuras por “frete expresso” e “compre e retire na loja” também ganharam destaque. 

Em nota divulgada à imprensa, a diretora de negócios para o varejo do Google Brasil, Gleidys Salvanha, afirmou que o consumidor será marcado por uma “nova relação com o digital” na Black Friday 2020. “Uma nova relação com o digital, somada às mudanças de comportamento e ao cenário atual, fizeram o consumidor mais consciente de suas prioridades e mais planejado. Para ele, a Black Friday de 2020 será menos sobre comprar somente o que está com um super-desconto e mais sobre fazer bons negócios”, disse. 

Para as marcas e varejistas, ela deixa um recado: pensem além de queimar estoque. “A data não é um momento apenas para queima de estoque, mas uma oportunidade de lançarem produtos, serviços, formas de se diferenciarem e conquistarem novos clientes”, enfatizou. A Black Friday 2020 acontece no dia 27 de novembro. 

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube