No último mês, as ferramentas do Google caíram e milhões de empresas foram prejudicadas. Aqui, vão algumas estratégias de sobrevivência pra eventuais futuras quedas!

O Google oferece as mais variadas soluções para o nosso dia a dia: nos momentos de lazer, podemos sempre contar com o YouTube; para os estudantes, o Classroom reproduz um ótimo ambiente de sala de aula; para a comunicação corporativa, as opções são ainda maiores, com Gmail, Google Meet, entre outros. Se por um lado, é ótimo ter uma empresa que possibilita tantas facilidades na nossa vida em lugares fáceis de se encontrar, por outro, cria-se uma relação de dependência que, eventualmente, pode vir a trair quem tanto precisa dessas ferramentas.  

Foi exatamente essa a experiência de milhões de usuários ao redor do mundo em uma segunda-feira de dezembro de 2020: o servidor do Google passou por instabilidades e, com isso, o acesso a diversas ferramentas como Gmail e YouTube foram prejudicados. Como se não bastasse o fato acontecer no primeiro dia útil da semana, ocorreu justamente no período de fim de ano, quando o trabalho de muitas empresas se intensifica. 

Segundo o site DownDetector, que analisa em tempo real as falhas de diversos serviços de internet, o problema foi mundial. As quedas foram sentidas no Brasil, nos Estados Unidos e em diversos países da Europa e da Ásia. Dos usuários que relataram dificuldades com o Gmail, 75% afirmaram não ter conseguido realizar login, enquanto 15% não conseguiam sequer acessar o site. As instabilidades duraram por volta de 45 minutos. De acordo com um comunicado emitido pelo Google, a situação foi decorrência de “um problema de gestão interna da cota de armazenamento”. 

Mesmo que as instabilidades tenham durado pouco, sem dúvidas, tiveram impactos no rendimento de muitas empresas — e até mesmo de alunos e professores, que migraram suas atividades para diversas plataformas do Google — naquela fatídica segunda-feira de dezembro. Pensando nisso, separamos algumas dicas para não deixar com que esse monopólio — que, por tantas vezes, nos beneficia atrase nossas demandas. 

 

Não menospreze as ferramentas “ultrapassadas”

A quem diga que as ferramentas do Pacote Office, como Microsoft Word e Excel, são coisa do passado. E tal afirmação não está totalmente incorreta. Em 2016, o Google Docs já havia ultrapassado a funcionalidade de texto da Microsoft na preferência de um público que utiliza muito desse tipo de apetrecho: os estudantes. De acordo com pesquisa da Creative Strategies, há quase cinco anos, 78% dos alunos já preferiam o Docs. 

Portanto, se você possui o Pacote Office instalado, não se desfaça dele, mesmo que possa ocupar uma boa parte da memória. Ainda que, no caso do Microsoft Word, por exemplo, ele não supra as vantagens do Google Docs — como a possibilidade de construir um documento em conjunto — elas “quebram um galho” em momentos de aperto. O mesmo vale para os navegadores! 

 

Não centralize sua comunicação

Existem empresas que optam por centralizar toda a comunicação dos funcionários em uma única plataforma. É uma forma muito justa de não dispersar as mensagens e fazer com que todos da equipe estejam a par das demandas. No entanto, há de se contar com momentos como esse, onde ferramentas como Gmail e Google Meet passam por instabilidades. 

São muitas as histórias de times que possuíam grupos apenas no WhatsApp e trataram de montar chats reservas no concorrente Telegram para quando houvesse quedas. Por isso, a dica é manter um canal primordial de comunicação, mas estabelecer, também, contatos reservas para evitar com que a equipe nunca perca contato. 

 

Salve em locais alternativos

Sim, chegamos em uma geração onde os pen-drives e HDs externos, tão populares nas empresas na última década, se tornaram alternativas lados B. Mas o fato é que o salvamento em nuvem e, nesse caso específico, estamos falando do Google Drive tornou esses aparelhos praticamente obsoletos. No entanto, eles podem ser possibilidades interessantes. 

Vale a pena salvar os arquivos mais importantes e urgentes nestes dispositivos externos. Afinal, além das nem mais tão improváveis quedas dos servidores, também há as quedas de conexão e problemas em computadores. O fato é que a confiança nesses serviços de armazenamento deixou as empresas acomodadas quanto à disponibilidade dos arquivos, mas nunca custou tanto tempo assim criar uma cópia em um outro ambiente. 

 

Fuja do óbvio!

Caso você não queira enfrentar esse tipo de instabilidade novamente, aqui, vão essas super dicas de serviços de cloud computing: Città Mail, que oferece grande capacidade e segurança de armazenamento de mensagens para sua empresa; Città Box, que permite armazenar na nuvem os arquivos mais importante e Città Exchange, um e-mail empresarial com domínio próprio. 

Com os nossos serviços de Cloud computing, você tem acesso a backup online, hospedagem compartilhada SSD e licença de servidor. Para mais informações, converse com a gente no telefone 3400-5000.

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube