Para celebrar o fim de um ano que, embora a gente tanto tenha torcido pelo fim, trouxe frutos positivos, separamos aqui cinco notícias que marcaram o ano de 2020 nas telecomunicações!

2020 foi um ano desafiador em todos os âmbitos da sociedade, mas, talvez, tenha sido ainda mais para as telecomunicações. A população passou boa parte do ano em casa, com diversas limitações e foram justamente os serviços de telefonia e internet que encurtaram distâncias, proporcionaram distrações e promoveram diversos avanços na luta contra a pandemia. 

Pode não ter sido o início de década sonhado pelos especialistas em telecomunicações, afinal, muitos debates e avanços precisaram ser adiados, seja por conta do isolamento social ou pelo fato de que as questões relacionadas à pandemia eram prioridade. Mas, sem dúvida, 2020 estabeleceu um novo patamar na relação das pessoas com esses serviços. 

Para celebrar o fim de um ano que, embora a gente tanto tenha torcido pelo fim, trouxe frutos positivos, separamos aqui cinco notícias que marcaram o ano de 2020 nas telecomunicações!

 

Sem cortes

Os serviços de telecomunicação foram, de fato, itens essenciais durante o isolamento social, não apenas pelo entretenimento, mas, principalmente, pela busca por informações, ato tão essencial durante o período de pandemia. Visando isso, no dia 3 de abril, a Justiça Federal em São Paulo concedeu liminar que impedia cortes em serviços de internet e telefonia.

A decisão também obrigava as empresas a estabelecerem a conexão dos usuários que tiveram seus acessos comprometidos por inadimplência. Além da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) e a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) também foram intimidas a cumprirem o despacho. 

 

Reclamações

É um ciclo: aumenta o tempo que as pessoas passam em casa, logo, aumenta o número de dispositivos sobrecarregando uma banda, aumentam também as instabilidades nas conexões e, por fim, aumentam as reclamações. Se em 2019, as queixas contra serviços de telecomunicações tiveram queda, como reportou a Anatel em junho do ano passado, em 2020, o cenário foi outro.  

De acordo com dados da mesma instituição, só no primeiro semestre deste ano, foram registradas 1,52 milhão de reclamações sobre as empresas de telecomunicações. O número representa um aumento de 6,6% em comparação ao último semestre de 2019. O crescimento é associado à alta de queixas de consumidores de banda larga fixa, que aumentaram 40% em relação ao semestre anterior. 

 

5G em teste…

Apesar de todo o imbróglio acerca do leilão e até mesmo das fake news que associam essa tecnologia à disseminação do novo coronavírus, a implementação do 5G no Brasil teve avanços promissores. Em julho, operadoras famosas de telecomunicações começaram, ainda em caráter experimental, testes do 5G para aparelhos móveis. No entanto, ainda não se pode considerar uma experiência completa de experimentação.

Tudo isso porque o leilão do 5G foi adiado para 2021, logo, não possuía uma banda contínua e dedicada. Os testes foram realizados com a tecnologia Dynamic Spectrum Sharing (DSS), que compartilhava as faixas de transmissão de 3G e 4G ainda não utilizadas. 

 

…e o 4G bombando

Em meio aos testes e discussões sobre o 5G, 2020 foi o ano em que a quarta geração da rede móvel alcançou um feito muito importante. De acordo com levantamento do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil), a cobertura 4G atinge 97,5% do território brasileiro. 

Com isso, 4.997 dos 5.570 municípios do Brasil têm acesso à tecnologia. A projeção é que, considerando também o 3G, todas as cidades brasileiras já tenham cobertura da rede móvel. Em um ano, 15,2 milhões de novos chips 4G foram ativados no país. O levantamento foi realizado em julho e divulgado em setembro. 

 

Mais smartphone que gente!

A conta parou de bater: são 234 milhões de smartphones no Brasil para 211,8 milhões de habitantes — estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgadas em agosto. Com isso, oficialmente, existe mais de um smartphone por habitante no país. 

Os dados foram revelados pela 31ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação, da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Os números são ainda maiores quando abrangem outros dispositivos tecnológicos. Entre celulares, computadores, notebooks e tablets, são 424 milhões de aparelhos no Brasil. 

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube