Operação 404: um esquema de pirataria digital que gera milhões de reais em prejuízo começa a ser combatido pela Polícia Civil.

Operação 404: um esquema de pirataria digital que gera milhões de reais em prejuízo começa a ser combatido pela Polícia Civil. Que atire a primeira pedra quem nunca baixou um álbum antes de ser lançado ou um filme que ainda estava nos cinemas porque não se aguentou de ansiedade para usufruir do material. Mas saiba que essa atitude aparentemente inocente pode corroborar para a manutenção de uma estrutura criminosa.  

 

Operação 404: o que é?

Deflagrada no começo do mês de novembro pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública em parceria com a Polícia Civil, a Operação 404 visa combater a distribuição criminosa de conteúdos audiovisuais. O objetivo é prender os responsáveis por sites e aplicativos piratas, que disponibilizam gratuitamente conteúdos como séries e filmes sem autorização das produtoras, e por serviços ilegais de TV por assinatura, os famosos “gato-net”. 

O nome da operação é uma clara referência ao erro 404, que acontece quando uma página da web não pode ser encontrada. Os responsáveis trabalham para que esses e outros materiais piratas sejam ocultados em sites de buscas e que seus conteúdos sejam desindexados, uma medida semelhante a que tem sido tomada no combate às fake news. Além disso, os sites e páginas em redes sociais desses falsos streamings estão sendo removidos. 

Mesmo em funcionamento no Brasil, os servidores responsáveis pela transmissão dos conteúdos piratas vinham de países como Canadá, Estados Unidos e França. Ao todo, 30 mandados de busca e apreensão foram expedidos. Os primeiros alvos da Operação 404 estavam espalhados entre 12 estados. A região campeã foi o Nordeste, que registrou buscas em quatro estados. No entanto, São Paulo registra o maior número de mandados expedidos. Já no primeiro dia da ação, oito pessoas foram presas em flagrante. 

Na noite de 1 de novembro, data que marcou o início da Operação 404, mais de 200 serviços ilegais já haviam sido derrubados, entre eles, 100 aplicativos móveis disponíveis em lojas virtuais e 136 sites da internet. A estimativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública é que o número de endereços removidos chegue a 210. 

 

Operação 404: “o foco não são os consumidores”

Em coletiva de imprensa, o delegado Alessandro Barreto fez questão de frisar que a Operação 404 tem como foco punir as pessoas que disponibilizam esses materiais de forma ilegal e, não, quem baixou ou assinou esse tipo de serviço. Segundo o agente, que é  coordenador do laboratório de operações cibernéticas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, existiram consumidores que também foram enganados e chegaram a prestar reclamações formais contra os serviços. 

De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Cinema (ANCINE), o prejuízo gerado ao país graças ao consumo de pirataria online chega a 9 bilhões de dólares. Além das mensalidades, os criminosos conseguem obter lucros graças a vendas de espaços de publicidade nos sites e aplicativos. Os valores gerados com a prática ilegal não foram divulgados.

As possibilidades para combate do crescimento dessas ferramentas têm sido estudadas. A principal delas, de acordo com Alessandro Barreto, é a confecção de um manual de boas práticas de propaganda e uma lista de sites “non-gratos” onde as marcas devem evitar realizar publicidade. Essa seria a forma mais eficaz, já que criariam empecilhos para os anunciantes, uma das principais fontes de renda desses sites e aplicativos. 

Os responsáveis também planejam uma campanha de conscientização para a população sobre o uso desses serviços. Além de causar prejuízo financeiro para o país, as atividades ilegais podem gerar diversas dores de cabeça para os usuários, como vírus, cobranças indevidas e danos aos dispositivos físicos. 

Em entrevista à Agência Brasil, Eduardo Luiz, coordenador de combate à pirataria da ANCINE, as operadoras clandestinas reduzem em até 150 mil as vagas de trabalho nas empresas legalizadas de televisão fechada, um dano evidente a um país com 12,5 milhões de desempregados. 

 

Città Telecom

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Com uma mudança na configuração dos roteadores, hackers conseguem ter acesso à senha e a outras informações sigilosas.

Roteadores são aparelhos que encaminham pacotes de dados entre a redes de computadores. Em termos menos técnicos, eles são responsáveis pelo nosso acesso à internet. Como qualquer dispositivo que acessa uma rede, também demandam certas medidas de segurança para evitar ataques. Um roteador desprotegido pode resultar até em roubo de dados bancários.  

A Avast, uma das maiores desenvolvedoras de softwares antivírus do mundo, revelou a ação de dois ataques hackers no Brasil. Só no primeiro semestre de 2019, eles foram responsáveis pela adulteração de 180 mil equipamentos no país. Com a mudança na configuração, os criminosos conseguem ter acesso à senha e a outras informações sigilosas. 

 

Entenda o ataque 

A invasão age através da adulteração de páginas de destino. Quando você clica em uma url ou uma peça com link, você é redirecionado para um site clonado. Os códigos criados pelos hackers se aproveitam de vulnerabilidades de roteadores residenciais. Geralmente, eles utilizam da senha de fábrica e substituem a configuração automática.  

Ao clicar na página, os códigos adulteram a configuração do roteador através do próprio navegador. Todo o roubo acontece através do aparelho e nenhuma alteração acontece diretamente no computador ou celular. Por isso, a ação gera pouca desconfiança, já que nenhum software é instalado, nem páginas de clickbaits aparecem na tela. 

Caso a adulteração seja realizada com sucesso, o Domain Name System (DNS) que controla seu acesso à internet será de propriedade dos hackers. O DNS é um sistema que relaciona o “nome” do site (exemplo: cittatelecom.com.br) ao endereço IP. Com isso, eles podem atribuir um endereço nominal a qualquer outro número de IP. 

Assim, ao clicar em um link, mesmo que o endereço esteja escrito corretamente, você será direcionado para uma página falsa. Esse ataque acontece, na maioria das vezes, nos sites de bancos. A interface é clonada na sua integralidade, justamente, para não levantar mais suspeitas. No entanto, os esquemas de segurança estão todos burlados para que eles tenham acesso às suas senhas. 

De acordo com a Avast, estes são os modelos de roteadores que mais sofrem da ação de hackers: TP-Link TL-WR340G / WR1043ND; D-Link DSL-2740R / DIR 905L; A-Link WL54AP3 / WL54AP2; Medialink MWN-WAPR300; Motorola SBG6580; Realtron; GWR-120; Secutech RiS-11; RiS-22 / RiS-33. 

 

Roteadores: como proteger o seu?* 

Se você tem algum desses modelos em casa, fique atento. Alguns procedimentos básicos já reforçam a segurança. O primeiro deles é manter o firmware atualizado. 

Assim como nossos celulares e computadores, os roteadores também têm updates nos sistemas operacionais. São nessas atualizações que os mecanismos de segurança são reforçados e erros e vulnerabilidades são corrigidos. Caso seu dispositivo não te notifique de novas versões dos softwares, acesse o site da marca e busque pela atualização do seu dispositivo. 

Se você divide a internet com outras residências ou distribui a senha quando recebe visitas, o ideal é que você tenha duas redes. Afinal, você pode não ter controle sobre as atividades destas outras pessoas na internet. Com isso, você isola a rede principal, fortalecendo a segurança da sua navegação. 

Essa opção de rede para convidados existe apenas nos roteadores atuais. E é justamente esta a próxima dica. Opte por comprar os dispositivos mais modernos. Assim como celulares e computadores, eles também se tornam obsoletos à medida que novos modelos surgem. Logo, param de receber atualização, estando, assim, mais sujeitos a vulnerabilidades. 

Por último e não menos simples: fortaleça sua senha! Em muitos casos, os hackers nem se dão muito trabalho. Existem usuários que permanecem com as chaves de fábrica ou optam por códigos simples, como “12345”. Por isso, utilize senha com letras, números e caracteres especiais, que não possam se relacionar a eventos fáceis da sua vida, como aniversários e nomes de filhos. Alterar constantemente também é um reforço.  

Caso você tenha alguma desconfiança de adulteração no seu roteador, o próprio Avast disponibiliza um recurso para detectar invasões e movimentações suspeitas no seu aparelho. O “Wi-Fi Inspector” está disponível na versão gratuita do antivírus. 

 

Città Telecom

Estamos também nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

 

*com informações do TechTudo

Recebemos o Selo RA1000, do Reclame AQUI! Entenda a importância deste título.

Reclame AQUI: um bom atendimento é a principal base para um relacionamento saudável com seu cliente. É um ciclo: um atendimento de primeira gera fidelização, que resulta em compras frequentes e a consequente estabilidade do seu negócio. Um levantamento publicado pela Accenture em 2016 revelou que as empresas brasileiras perderam cerca de US$ 217 bilhões devido a atendimentos ruins.

Para “separar o joio do trigo”, existem organizações que avaliam o atendimento das empresas junto aos clientes e, assim, livram os futuros compradores de experiências ruins. A Città Telecom, uma empresa de telecomunicações 100% brasileira que oferece serviços de internet e telefonia, foi uma das instituições a serem contemplados com o Selo RA1000, do Reclame AQUI.   

 

Reclame AQUI e o Selo RA1000

Reclame AQUI utiliza o selo para destacar as empresas com baixos números de reclamação e altos índices de atendimento no Reclame AQUI, portal que apresenta feedbacks dos clientes de diversas marcas. O feito explicita, também, que estas marcas possuem compromisso com o pós-venda e transparecem confiança juntos a seus compradores.

Para receber o selo, é preciso atender aos seguintes critérios: número de avaliações igual ou superior a 50, índice de resposta igual ou superior a 90%, índice de solução igual ou superior a 90%, média das avaliações igual ou superior a 7 e taxa de retorno (a garantia de você contraria o serviço novamente) igual ou superior a 70%.

A triagem do Reclame AQUI é feita por uma equipe de análise de conteúdo. A partir do momento em que uma empresa se torna elegível a receber o selo, esses profissionais passam a monitorar diariamente as reclamações para averiguar a veracidade das reivindicações e evitar que sejam simulações das próprias empresas.

O site desconsidera os elogios gratuitos para a triagem de posts que resultam no ganho do selo. O objetivo do RA1000 é medir a habilidade da empresa em solucionar os problemas do clientes. Para isso, apenas as reclamações são levadas em consideração. Mesmo que uma empresa obtenha todos os critérios listados acima, eles serão desconsiderados caso haja apenas elogios.

A empresa só recebe o RA1000 quando, ao fim do período de análise, não é encontrada nenhum indício que comprometa a legalidade dos depoimentos deixados no site. Do contrário, além de não receber o selo, a empresa pode ter sua conta de avaliações suspensa. Para garantir que a instituição em questão mantenha a qualidade do serviço, o visto é reanalisado e renovado (ou não) a cada duas semanas.

 

Selo RA1000: qual a importância?

Além de uma validação da qualidade do serviço de atendimento, um selo do Reclame AQUI é uma vitrine para novos clientes. Em 2016, ele foi o quinto site brasileiro mais acessado. Neste ano, ele ingressou na lista dos 1000 portais mais influentes do mundo. Ambos os dados são da própria empresa.

O coordenador de marketing da Città Telecom, Thiago Brito, celebrou o recebimento do Selo RA1000: “O Reclame AQUI é uma referência nas questões de atendimento e avaliação de empresa. Nós temos uma participação muito efetiva. De todas as reclamações que recebemos, nós prontamente atendemos. Nosso prazo de resposta é muito rápido e vai diminuir ainda mais devido aos trabalhos que estão sendo executados no setor de atendimento”.

O profissional ainda reforçou a importância de se reconhecer que empecilhos serão inevitáveis, o diferencial é a forma com que eles serão resolvidos. “Sempre haverá problemas em qualquer serviço ou empresa no mundo inteiro. O que acontece é que muitas vezes o cliente fica sem solução. O que a gente faz é deixar o cliente ciente do que está acontecendo e levando a ele a solução”, declarou.

 

Città Telecom

Estamos também nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin

Dia 768k: guarde esse número porque ele pode literalmente “quebrar a internet”!

Dia 768k: guarde esse número porque ele pode te causar alguns transtornos nos próximos dias… Você já ouviu falar na expressão “quebrar a internet”? Na cultura pop, ela é utilizada para se referir a um acontecimento que gera grande repercussão nas redes sociais. No entanto, no mês de maio, essa expressão pode se tornar literal.

Tudo isso porque um evento apelidado de “768k Day” (“Dia 768 mil”, em tradução livre) ocorrerá ainda este mês. Trata-se de um dia em que as conexões de internet ao redor do mundo poderão ficar lentas e instáveis. Uma parte da população corre risco de ficar sem acesso à rede mundial de computadores!

 

Dia 768k: por que isso vai acontecer?

Existe uma tabela de roteamento global chamada Border Gateway Protocol (BGP), que organiza os endereços de IPv4, o mais utilizado no mundo. Além de permitir sua navegação, o BGP controla a quantidade de dispositivos que estão logados à internet. O último limite estabelecido para a tabela global é de 768 mil endereços alocados.

Levando em conta o ritmo com que novos endereços estão sendo adicionados, a expectativa é que esse número seja atingido neste mês, porém, sem data prevista. Segundo um perfil no Twitter que monitora a adição de endereços IP, o 768k Day aconteceu no dia 24 de abril. Mesmo assim, especialistas acreditam que o fenômeno ocorrerá no quinto mês do ano.

Mesmo que as ameaças de estabilidade quando o dia chegar sejam reais, o fato é que existe uma preparação especial para que a internet não “quebre”. Essa preocupação existe desde a última vez em que o teto foi atingido, em 2014, em um fenômeno chamado Dia 512k, cujos detalhes explicaremos mais adiante.

Diversas operadoras já utilizam equipamentos que permitem um espaço de alocação da tabela BGP que ultrapasse os 768 mil endereços. Os usuários destas empresas, portanto, não sentirão os efeitos da quebra da meta. A probabilidade é que apenas provedores locais ou usuários de roteadores mais antigos sintam a sobrecarga de endereços.

Mas até mesmo para quem utiliza equipamentos ultrapassados ou é cliente de empresas mais despreparadas o fenômeno pode passar em branco. Basta apenas descartar as rotas /24 do IPv4, que definem os IPs de redes de grande porte, como as da Microsoft. Isso pode ajudar o número de endereços existentes a cair pela metade e não sobrecarregar o roteador.

 

Dia 768k: um evento deste porte não acontece pela primeira vez

Em agosto de 2014, o mundo presenciou o Dia 512k. Na época, os roteadores ao redor do mundo utilizavam o sistema Ternary Content-addressable Memory (TCAM), que estabelecia o teto global de 512 mil endereços como limite de armazenamento. A essa altura, você já deve imaginar o que aconteceu: este número foi quebrado.

Isso ocorreu quando a Verizon, uma operadora de telefone dos Estados Unidos, adicionou de uma vez 15 mil novos IPs. Os roteadores, então, passaram a travar toda vez que tentavam abrir um arquivo ou acessar uma página. Isso gerou instabilidade nas conexões, resultou em vazamentos de memórias em roteadores e gerou bilhões de dólares em prejuízo.

A solução imediata foi o desenvolvimento de patches para estes roteadores. Para quem não sabe, patches são programas criados com o intuito de corrigir um erro ou solucionar um problema. Foram justamente esses “remendos” (tradução livre) que aumentaram o número de armazenamento da BGP e nos levaram à meta de 768 mil que estamos prestes a quebrar.

 

Dia 768k: é possível reduzir os danos?

Por se tratar de um fenômeno global, se o Dia 768k trouxer, de fato, um “apagão” na internet, o Brasil será afetado com instabilidade na conexão e perda de sinal. No entanto, nosso país possui empresas de telecomunicações que já tomaram medidas profiláticas para que a população não sinta os efeitos deste fenômeno.

Uma delas é a Città Telecom, esta empresa que vos escreve! Nossos equipamentos são de última geração e já vêm com o firmware que permite um maior alocamento de endereços de IP. Possuímos uma equipe de engenharia que trabalha incessantemente para trazer um padrão de segurança que proteja nossos clientes desta e de outras situações que possam trazer instabilidades.

 

Città Telecom

Se assustou com a possibilidade de ficar sem internet e já está à procura de uma empresa que está preparada para o Dia 768k? Nós somos a escolha perfeita!

Com nossa Banda Larga Empresarial, você conta com conexão em estrutura própria 100% fibra ótica, 100% de garantia de banda – 30 a 200 Mbps, total suporte proativo tecnológico com atendimento 24h todos os dias, alta velocidade de upload e estabilidade de conexão.

Mas se você trabalha em casa ou só procura curtir seus momentos de lazer com mais qualidade, você pode contar com a nossa Banda Larga Residencial*. Utilizamos uma rede própria de fibra ótica com backbone próprio capaz de conectar você com o mundo. Com nossa banda larga, você conta com internet 100% fibra óptica em estrutura própria, suporte qualificado 24x7x365 e alta velocidade de upload.

Precisa de ajuda para entender melhor? Acesse agora o nosso site ou solicite a visita de um de meus Consultores Especializados agora mesmo.

* Disponível nas cidades de Limeira e Campinas.

Momo: tire ela da sala!

Momo: tire ela da sala. A aterrorizante boneca foi criada no Japão, em 2016, por um artista plástico. Com pés de pássaros, olhos esbugalhados, pele pálida e aparência anêmica, ela foi feita apenas para ser uma escultura em referência à Ubume, um mito do folclore japonês. No entanto, após ser exposta em um shopping, acabou se tornando uma figura viral trágica.

Uma investigação realizada Unidade de Investigação de Delitos Informáticos do Estado de Tabasco, no México, aponta que o viral teve início em grupos de Facebook. Bastava enviar uma mensagem a um número desconhecido, que possuía a foto da Momo de perfil, para receber desafios, ameaças e imagens perturbadoras. O fenômeno, no entanto, começou a atingir crianças e adolescentes ao redor do mundo.

Por razões de segurança, não entraremos em detalhes sobre o funcionamento do viral com o público teen. Em resumo, ela oferece amizade para estes jovens. Com o tempo, começa a propor desafios que podem resultar em download de aplicativos pornográficos, roubo de dados e até situações físicas, como agressão aos pais, automutilação e suicídio.

Investigações acerca da Momo já acontecem em várias partes do mundo, incluindo Estados Unidos e países da Europa e da América Latina. No Brasil, as perícias foram iniciadas depois da suspeita da ligação de Momo ao enforcamento de um menino de 9 anos, em Recife. O caso ocorreu em agosto do ano passado.  

 

Momo no YouTube?

Apesar de ser um fenômeno do Facebook e do WhatsApp, Momo voltou a ser centro de discussões depois que, supostamente, passou a fazer aparições no YouTube Kids, versão infantil da plataforma. Vale destacar que, desde julho de 2018, o site é investigado pelo Ministério Público para averiguar como os dados de crianças são tratados.

Em março, pais de uma menina de 8 anos vieram a público denunciar que a boneca Momo interrompia vídeos de slime, uma massinha maleável que é sensação entre as crianças. Isso teria acontecido no YouTube Kids, que tem um algoritmo próprio para barrar conteúdos impróprios para menores. Segundo o relato, a criança havia assistido instruções dadas pela boneca de como se suicidar.

Após a repercussão da notícia, a plataforma veio a público negar a denúncia. Em nota oficial divulgada nas redes sociais, o YouTube declarou: “não encontramos nenhum vídeo que promova um desafio Momo no YouTube Kids. Qualquer conteúdo que promova atos nocivos ou perigosos é proibido no YouTube. Se encontrar algo parecido, denuncie”.

 

Momo: como afastar as crianças dessa armadilha?

Facebook, YouTube e os smartphones, enquanto empresas, têm, sim, suas responsabilidades para com seus consumidores e devem ser culpabilizados nos casos em que a integridade física de uma criança é posta em risco.

No entanto, os pais não devem esquecer que precisam repensar sua responsabilidade no controle do conteúdo que está sendo assistido pelo seu filho. Proibir não é solução, mas você pode ajudá-lo a ter um consumo saudável no ambiente virtual.

O principal deles é o diálogo. Ele pode saber mexer melhor que você, mas você certamente sabe melhor como usar. Percebe a diferença?

Alerte sempre seus filhos dos perigos da internet e principalmente da importância de preservar os dados, como endereço de casa e da escola. Além de deixar a criança alerta, você ainda ajuda a aumentar os laços de confiança e reforçar sua autoridade. E evite deixá-lo mais que 2 horas por dia com o celular em mãos!

Especialistas recomendam que a atividade do seu filho seja completamente monitorada até os 12 anos. Se você tem filhos nessa idade, cheque o histórico de navegação, acesse os downloads, observe atentamente as amizades de Facebook e as mensagens trocadas. Existem diversos softwares e pacotes de antivírus que auxiliam no controle do acesso dos pequenos.

Mas se, mesmo assim, seu filho ainda sofrer algum assédio, ameaça ou tentativa de extorsão, denuncie na hora! Procure a delegacia de crimes virtuais mais próxima.

 

Città Telecom

Segurança é uma das nossas palavras de ordem. Por isso, buscamos fornecer uma internet rápida e estável, mas que proteja os seus dados e a sua conexão! Por isso, nós da Città Telecom, nos colocamos à sua disposição.

Empreendedores e equipe do Clube Empreendedor reunidos durante a inauguração da Casa do Empreendedor, no Rio.

Coworking no Porto Maravilha? No dia 27/11, o Rio de Janeiro recebeu a festa de inauguração da Casa do Empreendedor, um ambiente de coworking voltado para fomentar iniciativas, parcerias e novas ações de empreendedorismo. O evento de abertura apresentou a proposta do espaço e contou com a presença de representantes de empresas cariocas dos mais variados segmentos.  

 

A Casa contará com palestras, cursos, reuniões para networking, debates e eventos. O objetivo é transformar o recinto na base de trabalho de diversos empreendedores e, principalmente, facilitar a criação de negócios, que ainda dependem de espaços físicos para se consolidarem. O local foi desenvolvido pelo Clube Empreendedor do Rio de Janeiro, uma rede que visa conectar investidores e empreendedores de todo o estado para incentivar a retomada do crescimento da economia.

 

“Queremos que a Casa seja um pólo para o surgimento e fortalecimento de startups e demais modalidades de empreendedores, pois o Rio de Janeiro precisa ter sua economia aquecida. O empreendedorismo pode ser esta saída”, declarou, em nota divulgada para a imprensa, Rafael Ponzi, diretor executivo do Clube Empreendedor.

 

Localizada na área do Porto Maravilha, o projeto é parte de uma iniciativa que visa transformar a região da zona portuária em um polo de investimento para empreendimentos de gastronomia, cultura, lazer e tecnologia. Após as Olimpíadas Rio 2016, a área recebeu grande atenção do mercado imobiliário, que instalou ali grandes empreendimentos comerciais. Um desses recebe a Casa, que ocupa 320 metros quadrados no Edifício Novocais do Porto, localizado no bairro de Santo Cristo.

 

“Escolhemos o Porto Maravilha por ser uma região que tem a cara do empreendedorismo, local que já abriga empresas de inovação e tecnologia. A ideia é fazer parte dessa transformação e desse hub que está se formando. Temos que estar no centro da mudança. Além de todos esses motivos, é um local de fácil acesso”, afirmou Rafael em entrevista ao portal oficial do Porto.

 

Parceiros do empreendedor

 

Representantes da Città Telecom marcaram presença na inauguração da Casa do Empreendedor. Thiago Brito, nosso coordenador do departamento de Marketing, e Vinícius Barbosa, responsável pelas nossas vendas regionais, aproveitaram o evento para realizar contatos e buscar parcerias que fortaleçam o nome e os principais objetivos da marca.

 

Mas não foi apenas para prestigiar a cerimônia que os representantes da Città compareceram. Com o constante propósito de ser um braço direito do empreendedor e proporcionar uma melhor experiência de internet e telefonia para negócios de diversos portes, a empresa de telecomunicação negocia uma parceria com a Casa do Empreendedor, que deve entrar em vigor muito em breve.

 

“A Città quer colaborar com os empreendedores, que, hoje, são a grande maioria do nosso público alvo dentro do nosso nicho de mercado. Com o fechamento da parceria com o Clube Empreendedor do Rio de Janeiro, acredito que possa dar uma alavancada para nossa empresa, tanto na parte de visibilidade, quanto na parte comercial”, declarou o coordenador de marketing.

 

Sobre o evento de abertura, Thiago afirmou: “A experiência foi muito boa, de conviver com empresários de diversos segmentos e ver que eles estão empenhados para que o setor privado não dependa do setor público para sair da crise. Acredito que nos unindo, a gente consegue colaborar um com o outro”.

 

Não importa se sua empresa é de pequeno, médio ou grande porte: todos precisam contar com os melhores serviços e tecnologia de ponta para o bom andamento dos negócios.

 

Se você é empreendedor e precisa de uma conexão segura e com qualidade, conte com a gente! A Città oferece planos de internet e telefonia que garantem qualidade, segurança e toda a velocidade que sua empresa precisa para começar 2019 com o pé direito!

Precisa de ajuda para entender melhor como poderíamos ser o seu parceiro de telecomunicações em 2019? Solicite a visita de um de meus Consultores Especializados agora mesmo.