Separamos algumas mudanças já confirmadas e outras especuladas que as equipes das redes Facebook, Instagram e Twitter estão preparando para 2020!

O que muitos diziam ser uma “modinha”, prova-se cada vez mais forte a cada começo de ano. As redes sociais já fazem parte do nosso imaginário e da nossa rotina. E como qualquer hábito corriqueiro, precisa de algumas atualizações para que não perca a graça, não é mesmo? Separamos algumas mudanças já confirmadas e outras especuladas que as equipes das redes Facebook, Instagram e Twitter estão preparando para 2020. Acompanhe! 

 

Twitter

“E por isso nada mais importa se não for a minha opinião”: quem é usuário assíduo dessa rede social deve reconhecer o meme em um gif estático da Gretchen. E parece que esse vai ser o lema por lá em 2020. 

Durante a Consumer Electronics Show, que aconteceu em Las Vegas no começo do mês, foi anunciado que o “tuiteiro” poderá controlar quem responde às publicações. O objetivo é reduzir os casos de bullying e assédio moral que acontecem na rede social. 

Antes de enviar o tweet, o usuário poderá escolher se prefere deixar a opção de resposta pública, apenas para os seguidores, somente para as @’s mencionadas ou para ninguém. A postagem seguirá visível para todos – ou para os seus followers, em caso de conta fechada. 

Apesar de ter um público restrito e bem segmentado, o Twitter é uma rede social com uma base muito fiel de usuários. Atualmente, o Brasil ocupa o 6º lugar no ranking de países que mais utilizam a ferramenta. Os dados são do site Cuponation. 

 

Instagram

O Instagram (from Facebook) passou por um reposicionamento em 2019 e o claro foco da rede social são os Stories. O número de views nas postagens que somem após 24 horas, hoje, superam os likes nas fotos. O forte crescimento do TikTok parece ter acendido um alerta vermelho na equipe da ferramenta, que aposta em novas funcionalidade para os Stories em 2020.

Segundo a engenheira e blogueira de tecnologia Jane Manchun Wong, conhecida por vazar novidades da rede social, o Instagram se prepara para lançar compartilhamento de stories em grupo. Além dos melhores amigos, você poderia ter a opção de criar uma lista de transmissão específica e disponibilizar só com estes membros os conteúdos de 24 horas. 

Ainda de acordo com Wong, os Stories também devem ganhar a funcionalidade “Poses”, uma versão virtual daquela popular cabine de fotos que aparecem em festas e em parques de diversão. O aplicativo registrará sozinho uma foto a cada três segundos, no total de quatro fotografias. O resultado será um story stop-motion

As funcionalidades seguem em fase de testes, sem previsão oficial de lançamento. Jane Manchun Wong ganhou ainda mais notoriedade após anunciar em primeira mão o fim dos likes visíveis a todos os usuários. 

 

Facebook

Ainda no centro da polêmica das eleições presidenciais dos Estados Unidos em 2016, que elegeu o republicano Donald Trump, o Facebook parece querer reforçar o combate às fake news que rondam a rede social. 

Conforme anunciado no início do mês pelo vice-presidente global de gestão de políticas internas, Monika Bickert, o Facebook vai remover deepfakes e outros conteúdos manipulados. 

Para quem não sabe, trata-se de vídeos falsos criados com inteligência artificial, que permite colocar rostos e vozes em terceiras pessoas. Cerca de 50 especialistas das mais variadas áreas estarão de prontidão para detectar conteúdo manipulado. 

No Brasil, o caso mais famoso é o do videomaker Bruno Sartori, que utiliza da técnica do deepfake para fazer paródias políticas, como quando ele colocou o rosto do ex-presidente Lula no corpo de Mariah Carey para “cantar” uma música sobre obsessão para o presidente Jair Bolsonaro. Ele chegou a dar entrevistas para programas de televisão e portais da internet. 

O Facebook registrou uma queda de 5% em dois anos no número de usuários brasileiros da plataforma. Especialistas acreditam que os escândalos de vazamento de dados são a principal razão para a evasão. Em dezembro do ano passado, o Ministério da Justiça e Segurança Pública revelou que aplicou uma multa de R$ 6,6 milhões ao Facebook pelo vazamento de dados de mais de 400 mil brasileiros no caso Cambridge Analytica

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Apesar de ser uma prática antiga, o golpe do WhatsApp clonado teve um estopim no ano de 2019. De acordo com estimativas da PSafe, uma startup que desenvolve ferramentas de segurança para celular, 23 pessoas são vítimas da armadilha por dia.

WhatsApp clonado: uma modalidade de golpe que tem se tornado cada vez mais corriqueira. Em 2018, um levantamento realizado pelo Apptopia revelou que, entre maio e agosto de 2018, os usuários gastaram 85 bilhões de horas no aplicativo de mensagens instantâneas. Os números também são pomposos no Brasil. No ano passado, a empresa de consultoria Deloitte consultou 2 mil pessoas de 18 a 55 anos e 80% dos entrevistados afirmaram olhar o aplicativo mais de uma vez por hora. 

Tamanha intimidade do brasileiro com o aplicativo se tornou um facilitador de vida, mas também chamou a atenção de criminosos, que, agora, visam a ferramenta como uma maneira prática de realizar falcatruas. O mais novo golpe da “moda” é o WhatsApp clonado. O hacker invade a conta, tem acesso às mensagens privadas e realiza contatos se passando pelo dono do número. 

Apesar de ser uma prática antiga, o golpe do WhatsApp clonado teve um estopim no ano de 2019. De acordo com estimativas da PSafe, uma startup que desenvolve ferramentas de segurança para celular, 23 pessoas são vítimas da armadilha por dia no Brasil. No total, mais de 8,5 milhões de contas já teriam sido afetadas por este crime no país. 

Os aplicativos de segurança desenvolvidas pela mesma startup detectaram mais de 130 mil tentativas de roubo de WhatsApp no Brasil apenas no primeiro semestre de 2019. Entre os principais atos, estão pedidos de dinheiro ou transferências a amigos se passando pelo dono da conta e tentativa de extorsão sob ameaça de vazamento de conversas ou fotos íntimas. 

 

WhatsApp clonado: como os criminosos agem

No método mais famoso, tudo que o golpista precisa é do seu número e uma boa lábia. O criminoso tenta cadastrar o WhatsApp da vítima em outro dispositivo, o que faz com que o próprio aplicativo envie um código de verificação para o celular do roubado. O hacker entra em contato com a pessoa se passando por alguma empresa da qual ela utiliza serviços – geralmente, da plataforma de onde o número foi retirado, como sites de revenda ou de imóveis. 

Com isso, é solicitado o envio dos seis dígitos que acabam de chegar através do SMS sob a irônica justificativa de aquela é uma ação contra fraudes. Com o código em mãos, o WhatsApp é clonado e, através do novo dispositivo, o criminoso tem acesso a todas as atividades da pessoa. 

Para que a tentativa de golpe através de SMS seja invalidada, basta acionar a confirmação em duas etapas. A função pode ser ativada através da aba “Conta” no seu WhatsApp. Assim, qualquer novo login só será concretizado se a senha criada por você for digitada. 

Um método mais “silencioso” acontece presencialmente. Existem aplicativos que espelham o WhatsApp em outro dispositivo a partir da leitura de um QR Code. Portanto, não permita leituras de códigos em locais ou com pessoas de pouca confiança, tampouco deixe o seu celular desbloqueado nesses espaços. 

 

WhatsApp clonado: como saber se fui vítima do golpe

O jeito mais eficaz é estar atento às próprias atividades do seu “zap”. Preste atenção a atividades suspeitas, como conversas já visualizadas. A gente tende a achar que é algum bug do aplicativo, mas é um forte indício de WhatsApp clonado. Mensagens que não foram digitadas por você, obviamente, também denunciam que sua conta foi roubada.  

Observe frequentemente os logins realizados pelo WhatsApp Web, já que é através de computadores que os criminosos costumam agir. Você acessa essa informação pelo seu celular na aba “WhatsApp Web/Computador”, que fica nos ajustes/configurações. Clique em “sair de todas as sessões” se detectar algum computador suspeito conectado à sua conta ou se você costuma entrar em computadores públicos, como o de locais de trabalho. 

 

WhatsApp clonado: como proceder após o golpe?

Solicite a suspensão do WhatsApp clonado em contato direto com o suporte do aplicativo. Isso pode ser realizado através do e-mail support@whatsapp.com. A conta permanecerá inativa por 30 dias. Passado o período, você pode recadastrar novamente o número. Do contrário, ele será apagado definitivamente. 

O recomendado é que, nesse mesmo período de suspensão da conta do WhatsApp, você desative também a conta telefônica para evitar novos golpes nesse número já exposto a vulnerabilidades. 

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

O Google revelou os itens de tecnologia mais buscados no país em 2019 e a gente vai te ajudar a entender o que os brasileiros estão procurando!

2019 já se foi mas ainda deixa marcas. O ano que encerrou a década (ou não?) foi recheado de assuntos polêmicos que dividiu opiniões e no mundo da tecnologia, não foi diferente. Você é time Apple, Samsung, Motorola ou Xiaomi? Não importa qual lado você escolheu, o fato é que, antes de tomar partido, você fez uma boa pesquisa no Google para ter certeza da sua compra, não é mesmo?

De acordo com pesquisa divulgada pela Serasa Experian em 2011, o Google é o buscador favorito de 92,15% dos brasileiros. Praticamente, uma unanimidade! Todo ano, o Google divulga uma lista com os termos mais buscados pelos brasileiros em diversos segmentos. Para chegar ao resultado de 2019, foi realizado um cálculo que considerou o aumento do volume de pesquisas em comparativo a 2018. 

No geral, as principais buscas do ano se dividiram entre esporte, morte de personalidades famosas e procura por emprego. Em primeiro e em segundo lugares, estão “Copa América” e “Tabela do Brasileirão”; o primeiro, vale destacar, teve a Seleção Brasileira como campeã, o que contribuiu para a conquista do topo. Em terceiro e em quinto lugares, estão o apresentador Gugu Liberato e o cantor Gabriel Diniz, que faleceram, respectivamente, em maio e em novembro. Em quarto lugar, ficaram as buscas por “vagas de emprego”. 

No quesito tecnologia, 2019 foi dominado por buscas de celulares e aplicativos da moda, comprovando nossa tese de que, nos dias de hoje, não se compra smartphones sem uma boa pesquisa sobre os aparelhos. A seguir, explicamos para você com detalhes o top 5 de pesquisas sobre tecnologia do Google no Brasil! 

 

1º – iPhone 11

Em setembro, a Apple anunciou o lançamento da 11ª primeira geração do iPhone. A grande novidade ficou por conta da câmera dupla com tecnologias ultra-angular e grande-angular capazes de registrar em até 4K. O produto chegou ao Brasil um mês depois sob os custos da “singela” bagatela de R$ 4.999,00. O aparelho também figurou na lista geral de buscas no mundo, ocupando a 5ª posição. 

2º – Moto G7

Diversas versões da sétima geração do Moto G figuraram entre os cinco celulares mais vendidos do Brasil durante vários meses do ano, o que pode justificar tamanha procura. Anunciado em fevereiro, o Moto G7 (e suas variações) se encaixam melhor no bolso da população brasileira, com preços oscilando entre R$ 999 e R$ 1.899. A versão mais básica, o Moto G7 Play, já garante câmera de 13 MP e tela IPS LCD de 5.7”.  

3º – Amazon Prime

Se cuida, Netflix! O serviço de streaming da Amazon chegou ao Brasil em setembro oferecendo músicas, vídeos, jogos e livros por uma assinatura mensal de R$ 9,90. Além do acesso ilimitado a conteúdos de diversos segmentos, o assinante da plataforma tem direito a frete grátis nas compras na Amazon. Com isso, a empresa se firma como concorrente não apenas das plataformas on-demand, mas também das gigantes do varejo aqui no país.  

4º – FaceApp

Em julho, foi praticamente impossível entrar em qualquer rede social sem se deparar com montagens com o rosto envelhecido das pessoas. O responsável pela proeza foi o aplicativo FaceApp. Apesar de ter divertido milhares de brasileiros, o viral resultou em uma multa total de quase R$ 18 milhões para o Google e a Apple. Tudo porque a política de privacidade e os termos de uso do app não estavam disponíveis em português. Ao aceitar os termos sem ler, o usuário autorizou o FaceApp a armazenar dados privados e cedê-los a terceiros sem autorização prévia. 

5º – Dollify

Em junho, outro aplicativo de paródias também tomou conta do gosto popular brasileiro. Trata-se do Dollify, capaz de realizar caricaturas de uma pessoa. O aplicativo chamou a atenção graças a variedade de possibilidades para compor o avatar, especialmente, a de cor de pele. Até o fechamento deste artigo, o Dollify se encontrava em 39º lugar entre os apps mais baixados de entretenimento no Google Play e em 103º, na Apple Store. 

Confira o restante do top 10 

6º – Xiaomi Mi 9

7º – Moto G7 Plus

8º – Galaxy S10

9º – Moto G6 Plus

10º – Moto G6

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Em 2018, os brasileiros passaram, em média, três horas por dia com o celular em mãos. O país aparece em 5º lugar no ranking de países que mais gastaram tempo utilizando o aparelho. Aqui, vão algumas dicas para desintoxicar desse "mal necessário" que se tornou o smartphone!

Vício em celular: já parou para calcular o quanto da sua vida você perder com a telinha brilhante na mão? O smartphone facilitou nossa rotina em muitos quesitos e trouxe possibilidades que pareciam improváveis há poucos anos atrás. No entanto, parece ter criado gerações dependentes do uso deste aparelho, o que pode atrapalhar as relações interpessoais e interferir na produtividade. 

De acordo com a 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), atualmente existem mais smartphones que habitantes no Brasil: são cerca de 230 milhões de aparelhos ativos. Isso representa um aumento de 10 milhões em apenas um ano. 

Outra pesquisa divulgada esse ano, o relatório Estado de Serviços Móveis, revelou que o Brasil é o 5º país que mais utiliza celulares no mundo. Segundo estatísticas reveladas pela empresa Statista em 2017, o brasileiro gasta, em média, quatro horas e 48 minutos mexendo nos celulares. 

A preocupação dos especialista é tanta que já se criou um termo científico para vício em celular: nomofobia. Ainda não é considerada uma doença ou um transtorno mental, mas já se assume os riscos à vida pessoal e profissional das populações. Por essa razão, já é passível de tratamento. Na Europa e nos Estados Unidos, já existem psicólogos e clínicas do segmento que tratam da problemática. No Brasil, o serviço já está disponível, porém, com pouca oferta. 

Em 2018, a Motorola ouviu 20 mil brasileiros em uma pesquisa e detectou que 41,5% estavam viciados em smartphones. Os principais sinais são acordar no meio da noite para responder mensagens, angústia com o fim da bateria, falta de produtividade em detrimento de uso excessivo de celular e ignorar os momentos ‘offline’ para mexer no aparelho. Além desses indícios, a nomofobia também pode acarretar em depressão, ansiedade, transtorno do déficit de atenção e até sobrepeso. 

Pensando em começar o ano com um ‘detox’ necessário, o primeiro artigo de 2020 do Città Conecta vai trazer algumas dicas simples e rotineiras, mas que farão toda a diferença para a manutenção da sua relação com o smartphone. E se ler esse texto for a última coisa que você fez hoje no seu celular? Está lançado o desafio! 

 

Hora do celular

Estamos falando de limites e não de abandonar por completo o telefone. Por isso, separe um momento do seu dia para mexer no celular – um momento!. Em uma hora, você consegue perfeitamente responder a todas as mensagens pessoais, dar aquela ‘stalkeada’ nas redes sociais e ler as principais notícias do mundo, se for através do celular que você se informa. Você pode até responder esporadicamente mensagens que recebe ao longo do dia, mas separe uma hora para mexer a fundo ao invés de sempre se perder navegando cada vez que for responder a um WhatsApp. 

Day Off

Parece impossível, mas você vai sobreviver! Escolha um dia para ficar completamente offline. Desligue o celular e preencha seu dia com atividades que te dão satisfação e te desconectem completamente do smartphone e te conecte a outras áreas da vida. Que tal escolher aquele dia em que a família toda está reunida para aproveitar ainda mais a presença das pessoas amadas?

Hora de dormir

Como citado acima, existem pessoas que acordam no meio da madrugada para responder mensagens. Isso acontece porque deixam o celular ligado debaixo do travesseiro e despertam com a vibração das notificações. Na hora de dormir, desligue seu aparelho e deixe-o em um lugar de difícil alcance. Assim, o mundo online não vai atrapalhar seus sonhos durante a noite. 

Celular profissional

Se você tem condições financeiras de adquirir um segundo aparelho ou ainda não jogou fora aquele telefone velhinho, utilize esse celular para os contatos profissionais. Se o seu problema de vício em celular é porque você é um workaholic, é bom ter dois smartphones para poder separar as mensagens de lazer e aquelas com tanta carga de obrigação. O celular do trabalho, é claro, tem que permanecer desligado fora do horário comercial! 

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Para nós que fazemos a Città Telecom, 2019 foi um ano intenso. Como agradecimento, queremos dividir com você, o principal responsável pelo nosso sucesso, algumas das nossas principais vitórias nesse período!

Para nós que fazemos a Città Telecom, 2019 foi um ano intenso de muito trabalho, muita luta e muitas realizações. Como agradecimento, queremos dividir com você, o principal responsável pelo nosso sucesso, algumas das nossas principais vitórias nesse ano que se despede cheio de excelentes projeções para a próxima década. 

 

Città Conecta

Nosso blog continuou trazendo as melhores informações sobre tecnologia e o mundo dos negócios. A principal linha editorial foi abordar conteúdo acessível e de fácil entendimento para democratizar cada vez mais o acesso aos saberes referentes a esses temas. E o resultado foi super satisfatório: recebemos mais de 7 mil acessos* nos quase 60 artigos publicados esse ano. 

Pedimos ao nosso time de redação e edição para eleger as três melhores matérias do ano. As favoritas foram os artigos sobre o TikTok, o Projeto Loon e o Dia 768k. Para ler ou relembrar os temas, basta clicar sobre os títulos! 

*Dados de 04 de dezembro de 2019 

 

As novas regiões

Expansão foi a nossa palavra de ordem em 2019. Já atendíamos pontos importantes de Limeira, Campinas e Rio de Janeiro, mas esse ano, tivemos a oportunidade de levar nossa conexão a novas regiões dessas cidades.  

Em Campinas, chegamos nos bairros Jardim Chapadão, Castelo e Guanabara e ainda reforçamos nossa conexão no Techno Park, um dos polos industriais mais importantes da cidade. No Rio de Janeiro, otimizamos nosso sinal na Avenida das Américas e em estabelecimentos de grande visibilidade na Avenida Embaixador Abelardo Bueno, dois endereços de renome no mundo dos negócios. Em Limeira, Jardim Nossa Sra. do Amparo e Parque Residencial Sthalberg foram os bairros que nos receberam de braços abertos.

Em 2020, queremos chegar na sua região também!

 

Os grandes eventos

Esportes, música, festa… Em 2019, teve Città Telecom em eventos para todos os gostos e públicos!

No ramo dos games online, provemos conexão para o DreamHack, um festival de esportes digitais, e para o Free Fire Pro League Brasil, uma competição do jogo do momento. Nos esportes mais tradicionais, fomos a internet oficial do Abu Dhabi Grand Slam, a maior competição de jiu-jitsu da América Latina, oferecemos nossas soluções em jogos de basquete do Flamengo e ofertamos conexão em uma das rodadas do Campeonato Carioquinha. 

Para quem curte boa festa e boa conexão, demos “check-in” no We Love Jurerê e na edição carioca do Festeja, um dos maiores festivais sertanejos do Brasil. E quem curte comer bem também não ficou sem navegar: fomos a internet oficial da Comida di Rua 2019. 

Queremos agradecer aos parceiros organizadores do evento pela confiança. Em 2020, esperamos fazer parte dessas histórias também! 

 

Black Friday 2019

A expressão americana é boa, mas a gente prefere o bom e velho “o patrão ficou maluco” porque foi exatamente isso que aconteceu com a gente esse ano. 

Na Black Friday Città Telecom 2019, dobramos as conexões sem dobrar os preços. Entre os pacotes que receberam esse saldão, estavam Banda Larga Residencial, Banda Larga Comercial, Città Corporate e Link Business. Centenas de residências e negócios foram beneficiados com esse desconto. 

Você não aproveitou essa super promoção? Tudo bem, fique atento que em 2020 o patrão promete endoidecer ainda mais! 

 

Solidariedade

Em 2019, iniciamos a campanha LIFE, uma iniciativa em prol do desenvolvimento social e sustentabilidade. Através de campanhas internas, estimulamos nosso quadro de funcionários a se engajarem com causas que impactam verdadeiramente a sociedade em que vivemos. 

Uma das ações mais marcantes ocorreu no Dia das Crianças. Nosso time recolheu roupas, brinquedos e mantimentos para o Orfanato Santa Rita de Cássia, que funciona há 87 anos bem pertinho da nossa sede, em Jacarepaguá. 

Além disso, fomos braço direito de eventos muito importantes, como o Arraiá do Retiro dos Artistas, a festa que ajuda a manter a famosa instituição, e a CureRETT, uma corrida para arrecadar fundos para financiar pesquisas sobre a Síndrome de Rett. 

Dizem que quem faz o bem não precisa divulgar, mas acreditamos que no mundo em que vivemos, especialmente o digital onde todos são tão voltados a si mesmos, boas ações precisam ser propagadas para servirem de estímulo. 

 

Città Telecom

Não poderíamos encerrar essa retrospectiva sem dedicar um espaço especial para agradecer ao principal responsável pelo nosso sucesso: você! Seja cliente ou apenas leitor assíduo do nosso blog, você é a nossa principal motivação. Nosso objetivo é melhorar sempre nossos serviços para te aproximar cada vez mais do mundo. Obrigado pela confiança e que em 2020 a gente continue conectado! 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Para as telecomunicações do Brasil, 2019 foi um ano repleto de acontecimentos que anteciparam o que podemos esperar da próxima década. Relembre os mais importantes!

Há controvérsias se 2019 marca ou não o encerramento da década, mas o fato é que foi um período cheio de momentos marcantes e que ganhará espaço nas retrospectivas dos anos 2010. Em 365 dias, vimos um novo governo tomar posse, a cantora com mais hits beijar o jogador mais bem pago, o time mais popular ganhar vários campeonatos, o dólar bater recordes de alta e personalidades importantes partindo. 

Para as telecomunicações do Brasil, 2019 foi um ano repleto de acontecimentos que anteciparam o que podemos esperar da próxima década. Wi-Fi 6, eSIM, IoT… Diversas novidades tomaram conta das rodas de conversa e provaram que as projeções para o futuro já são reais. Reunimos aqui cinco acontecimentos relacionados ao nosso cenário que mudaram não apenas os rumos dos modelos de negócios, mas impactaram diretamente a vida de vocês consumidores. Acompanhe! 

 

Aumento do uso de banda larga no Brasil

Segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a banda larga fixa cresceu 5,4% em um ano no Brasil. Com a atualização, o país agora conta com mais 1,6 milhões de residências que utilizam serviço de banda larga fixa. 

O crescimento é associado ao trabalho das Prestadoras de Pequeno Porte (PPPs), empresas que abocanham, no máximo, 5% de participação no setor específico de telecomunicação em que atuam. As grandes empresas ainda detém o monopólio dos serviços, embora tenham sofrido uma perda simbólico de 0,40% de residências neste período. 

 

Queda nas reclamações contra empresas de telecomunicações

Em junho, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) registrou uma queda considerável nas reclamações às empresas do segmento em comparação ao mês anterior. Foram pouco mais de 218 mil queixas, 17,2% a menos que maio. 

A queda também foi registrada se analisarmos os serviços principais isoladamente. As reclamações sobre banda larga móvel sofreram baixa de 15,1%, enquanto o decréscimo das queixas sobre telefonia fixa ultrapassam os 22%.  

As cobranças ainda são o principal motivo de reclamação dos clientes contra as empresas de telecomunicações no Brasil. Nas companhias de TV fechada, as reivindicações sobre faturas e afins ultrapassam os 50%.  

 

Projeto de lei pode acabar o sinal ruim das rodovias

A Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado Federal aprovou um projeto de lei que torna obrigatório que as operadoras forneçam sinal para as rodovias federais e estaduais. 

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), as empresas são obrigadas a cobrir 80% da área de uma cidade e, por isso, optam por priorizar os centros urbanos. Com isso, as estradas, que geralmente são cercadas por matos, ficam em segundo plano.

Agora, a Lei aguarda votação na Câmara dos Deputados. Ela entra em vigor em até três meses caso seja aprovada em definitivo. 

 

Wi-Fi 6 é oficialmente anunciado

A Wi-Fi Alliance anunciou o lançamento da sexta geração da rede sem fio, o 802.11ax, ou em termos mais populares, o Wi-Fi 6.

A nova conexão sem fio pode chegar até a 10,53 Gbps na banda de 5 GHz de frequência. A nova geração também permite um maior número de dispositivos conectados e trouxe um reforço na segurança graças à implantação do protocolo WPA3, que garante proteção no envio de dados. 

O Wi-Fi 6, por enquanto, é restrito apenas a dispositivos lançados recentemente, já que o funcionamento depende de hardwares que precisam ser implementados na fabricação dos produtos. 

Esse foi um dos assuntos tratados no nosso blog, Città Conecta. Para ficar por dentro do assunto, CLIQUE AQUI.  

 

Lei das Telecomunicações é sancionada

O presidente Jair Bolsonaro sancionou o marco legal das telecomunicações. A iniciativa altera a legislação das empresas de telecomunicação no Brasil.

Entre as principais mudanças da nova lei, está a prioridade da internet em detrimento do telefone. A partir da aprovação, empresas públicas do setor de telefonia fixa podem migrar para a atividade privada. A medida permite também que o dinheiro destinado a regulamentação passe a ser reinvestido em banda larga. 

Caso você tenha interesse em ficar por dentro do assunto, o UOL publicou uma reportagem super didática que explica diversos pontos do novo marco legal das telecomunicações. Para ler, CLIQUE AQUI

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Semana com 4 dias de trabalho: vantajoso ou uma grande tendência para acumular demandas? Descubra!

Semana com 4 dias de trabalho: vantajoso ou uma grande tendência para acumular demandas? É fato que, quando chega a sexta-feira, os funcionários já estão tão sobrecarregados com tudo que aconteceu nos dias anteriores que eles só pensam em “sextar”. Mas será que reduzir a carga horária resultaria em benefícios para a equipe e para o rendimento do trabalho?

É esse teste que diversas empresas importantes do mundo vêm realizando nos últimos tempos. Quais são os resultados? Os números apresentados compensam? Não atrapalha todo o cronograma da firma? Essa e muitas outras informações você acompanha neste artigo. Leia até o final e tire suas próprias conclusões! 

 

Semana com 4 dias: de onde vem essa história?

As primeiras projeções datam da primeira metade do século XX com os Estados Unidos afundados na Grande Depressão, uma crise econômica causada pela superprodução e que perdurou até a Segunda Guerra Mundial, dez anos depois. No período, o modelo de trabalho capitalista parecia fadado ao fracasso e uma das soluções pensadas foi uma redução da jornada. 

No entanto, a primeira implantação da metodologia que se tem documentado aparece em 1998, na França. A jornada de trabalho foi reduzida de 39 para 35 horas semanais como uma forma de reduzir o desemprego. Mais de 20 anos depois, a França vive uma nova discussão sobre um aumento considerável das horas trabalhadas que, atualmente, giram em torno de 36h mas o modelo implementado no fim do século XX ainda é considerado referência histórica. 

O caso de sucesso mais famoso da semana com 4 dias vem da Nova Zelândia. Entre março e abril de 2018, a companhia de planejamento imobiliário reduziu a jornada de 40 para 32 horas semanais. O resultado foi a diminuição do estresse em 7%, aumento de 5% na satisfação do trabalho e 24% dos funcionários afirmaram estar se sentindo melhor em relação à vida pessoal. Desde então, os cerca de 240 funcionários da empresa trabalham de segunda a quinta-feira. 

 

Semana com 4 dias: o caso de sucesso mais recente vem de uma grande empresa

Neste ano, os escritórios da Microsoft no Japão tiveram suas cargas horárias de trabalho reduzidas a quatro dias semanais sem nenhuma alteração na folha de pagamento. Durante todo o mês de agosto, os 2.280 funcionários da companhia puderam folgar às sextas-feiras. Os resultados da iniciativa foram divulgados à imprensa no começo de novembro. 

Segundo informações da empresa, os funcionários tiveram um aumento de 40% na produtividade em relação ao mesmo período do ano anterior. Este fator foi medido de acordo com o número de vendas de cada contratado. A Microsoft apontou que a medida também é sustentável, já que os gastos com papel e eletricidade reduziram em, respectivamente, 59% e 23% em relação a agosto do ano passado. 

Outra medida importante foi relacionada à tomada de decisões. Os e-mails, que podem demorar horas ou até dias para serem respondidos, foram substituídos internamente por um aplicativo de mensagens instantâneas. Já as reuniões, só aconteciam em casos de extrema importância. Mesmo assim, tinham hora pra começar e terminar: apenas 30 minutos cada. 

A iniciativa é parte do programa Work-Life Choice Challenge, que busca estimular um balanceamento entre vida pessoal e profissional. O projeto é de extrema importância no Japão, que sofre com constantes casos de “karoshi”. Trata-se da morte por excesso de trabalho. Com tanta pressão nas costas, os trabalhadores têm overdoses por abuso de medicamentos, sofrem maus súbitos ou chegam ao suicídio.  

 

Semana com 4 dias: vantagens e desvantagens

A principal vantagem do modelo é o aumento da produtividade. Com menor duração e a mesma carga de trabalho, perde-se menos tempo em pausas ou em reuniões improdutivas e aumenta o foco em entregar a demanda no período certo. Um dia a menos também pode resultar em mais espírito de equipe em seu time, já que gera um sentimento de cooperação para que todas as metas sejam cumpridas. 

No entanto, é um protótipo que pode gerar mais custos se não for implementado cuidadosamente. Se o modelo de trabalho não for repensado e adaptado para as 32 horas semanais, você pode precisar pagar por hora extra caso exceda o tempo ou necessitar contratar novos funcionários para dar conta da demanda. Por isso que, como qualquer novidade, a semana com 4 dias precisa ser longamente estudada dentro da sua empresa e do seu nicho em geral. 

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

WhatsApp Business: quatro dicas para utilizar da forma correta.

WhatsApp Business: a versão empresarial do aplicativo de mensagens instantâneas que tem se tornado a principal forma de conversação entre cliente e organização. As dificuldades de comunicação estão entre as principais queixas de quem precisa tirar dúvidas ou reclamar sobre um produto e um serviço. Mas os laços estão cada vez mais estreitos graças a esta funcionalidade. 

No começo de 2018, o WhatsApp anunciou o lançamento de uma alternativa do aplicativo voltada para os negócios. O WhatsApp Business tem uma interface exclusiva para empresas, que prioriza uma maior dinâmica de venda e atendimento. A funcionalidade surgiu como a grande aposta do grupo Facebook no mercado de comunicação empresarial. No entanto, foi apenas a formalização de uma realidade. 

Segundo dados da Morning Consult, 4 de 5 empresas já utilizavam o WhatsApp para fins comerciais. As empresas que já utilizam o app de mensagens instantâneas puderam fazer migração para a versão comercial sem perda de mensagens e contatos. Em apenas um ano, o WhatsApp Business atingiu a marca de 5 milhões de empresas ativas no aplicativo. 

Além da comunicação, o aplicativo se tornou uma espécie de cartão de visita de um estabelecimento. Através dele, você pode divulgar local, horário de funcionamento e outras formas de contato. Mas você tem utilizado esse espaço de forma correta? Separamos aqui algumas dicas primordiais para ter um perfil de excelência e um contato primoroso com os clientes através do WhatsApp Business. Acompanhe! 

 

WhatsApp Business: comece com um manual de uso

Como serão feitos os cadastros dos números? Como será a linguagem utilizada? Formal? Informal? Como serão as saudações automáticas? Quais as respostas para as principais dúvidas? 

O contato humano é imprevisível, mas essas e muitas outras questões já podem estar definidas antes. Como os jornais impressos têm os manuais de redação, você deve desenvolver um manual com regras básicas de contato com seus clientes. Essa organização garante não apenas qualidade, mas um padrão no atendimento dentro das normas da sua empresa. A forma com que se conversa com o cliente deve ser um reflexo da missão, da visão e dos valores da sua marca.  

Mas lembre-se: criar um manual de atendimento não significa que ele deva ser completamente frio e engessado. O cliente valoriza o contato humano e, mesmo que ele não faça ideia com quem esteja falando, é importante perceber que não se trata de um robô. 

 

WhatsApp Business: envie conteúdo assertivo

Na hora de distribuir mensagens no WhatsApp Business, pense no valor do conteúdo para aquele público. Se sua empresa tem produtos segmentados para vários públicos específicos, não é de grande valia enviar promoções para o nicho que não se interessa por essa fatia do seu negócio. 

E mensagens demais de empresas podem encher o saco do cliente e afastá-lo do seu negócio. Portanto, use e abuse da ferramenta de lista de transmissão e crie grupos específicos de compradores baseados nas experiências anteriores. 

Por fim, não faça spam! Apenas envie mensagens quando o cliente se cadastrou na sua lista de transmissão e deu autorização para o recebimento de novidades. Além de ser expressamente proibido nos termos de política do WhatsApp Business, o spam exclui qualquer possibilidade de aquele freguês em potencial querer fechar negócio com você. 

 

WhatsApp Business: tenha uma equipe 

Não é porque o “zap” é algo extremamente banal no nosso dia a dia que qualquer pessoa é capaz de realizar o gerenciamento de uma conta comercial. Se você está com condições de aumentar a equipe, contrate alguém especialmente para esta função. O ideal é contar com um funcionário que pense, também, as campanhas do WhatsApp Business.  

Mas se você ainda tem uma empresa de um “homem” só e realiza tudo sozinho, estude profundamente a ferramenta e as diversas possibilidades de comunicação que ele proporciona. Só não subestime o WhatsApp Business! 

 

WhatsApp Business: utilize os dados que o app fornece 

O WhatsApp Business entrega ao empreendedor uma série de medidores de desempenho que te ajudam na hora de mensurar o desempenho do seu negócio. Entre eles, estão a quantidade de clientes que recebem as mensagens, o número de pessoas que leem o que é enviado e a taxa de resposta. 

Essas informações são uma forma de reavaliar o atendimento ao público e ainda criar novas estratégias com base no comportamento da sua clientela. Você pode encontrar estes dados de forma bem fácil, no menu “Configurações” situado ao lado do botão de buscas. 

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Aqui estão três curiosidades que você não sabia sobre internet fibra óptica!

Internet fibra óptica: a grande revolução da telecomunicação é responsável por conectar o mundo todo em velocidades cada vez mais impressionantes! Só quem viveu a era da conexão discada há de concordar: baixar arquivos pesados ou assistir a vídeos de alta qualidade sem travar parecia um sonho distante. Mas já é uma realidade graças à tecnologia da fibra óptica. 

Na internet fibra óptica, os dados são transformados em luz e enviados através de cabos feitos com camadas de vidro e revestidos por plástico. Os cabos de fibra óptica são um caminho criado para que a luz envie os dados na mais alta velocidade para um aparelho receptor; geralmente, torres e antenas, que, após conclusão do recebimento dessas informações, retransmitem localmente através de ondas de rádio. 

Cada unidade possui cerca de 36 fios capazes de alcançar uma velocidade de quase quatro mil gigabits por segundo. Tamanha tecnologia resulta em rapidez e qualidade de internet e telefonia muito maiores do que estávamos habituados nos bons (?) tempos de dial-up. Você pode entender mais sobre o funcionamento destes cabeamentos acessando ESTE ARTIGO AQUI

Segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em 2018, 18,5% das conexões de banda larga no Brasil já utilizavam internet fibra óptica; há 10 anos, este número não chegava a 5%. Para celebrar tamanho crescimento, preparamos um artigo que destaca três fatos super interessantes sobre a internet fibra óptica. O objetivo é apenas um: te convencer a mudar para a melhor conexão. Acompanhe! 

 

Internet fibra óptica não é tão frágil quanto pode parecer

Uma das principais fake news relacionadas à internet fibra óptica se dá pelo fato de os cabos serem feitos com camadas de vidro. Há quem acredite fielmente que isso torna o cabeamento mais suscetível a quebras, mas a realidade é justamente contrária.

Prevenção de danos: se há rachaduras no cabo, a luz para de transitar e a conexão perde a velocidade ou pode até ser interrompida. Por isso, os cabos de fibra óptica foram pensados para serem resistentes a possíveis lesões. 

O vidro leva, na composição, bases de sílica ultrapura, composição química que serve de reforço para que o equipamento esteja suscetível a pesos e variações de temperatura sem que o material seja danificado. 

 

Internet fibra óptica é ecologicamente correta

Se você é uma daquelas pessoas preocupadas com o futuro do planeta e busca diariamente formas de reduzir o seu impacto no meio ambiente, a internet fibra óptica pode ser uma excelente solução. 

Como explicitado acima, a transmissão de dados é feita através do envio de um feixe de luz. Isso representa uma grande economia de energia, já que há redução de envio de sinais elétricos. 

Além da redução do uso de energia, que resulta em uma diminuição da emissão de CO2, os riscos de incêndios devido a curtos ou outros danos físicos são praticamente extintos. 

 

Internet fibra óptica não sofre com interferências externas

Instabilidade por conta de superlotação de acessos ou queda na conexão por conta de chuvas ou ventos fortes? Não conhecemos! 

A internet fibra óptica é blindada contra esses “eventos” inesperados. Isso acontece graças à própria composição do material dos cabos. Os fortes componentes criam uma barreira isolante do ambiente externo e, com isso, os sinais não escapam e também não são influenciados por qualquer fator, mantendo a qualidade e a linearidade da conexão. 

 

Internet fibra óptica é Città Telecom

 

Prazer, somos a Città Telecom! Uma empresa de internet 100% brasileira capaz de conectar você com o mundo. Graças a sabe o quê? Segura esse plot twist: graças à fibra óptica! 

Utilizamos uma rede de fibra óptica com backbone próprio e graças a este sistema, podemos oferecer serviços de internet e telefonia com a mais alta qualidade. 

Por isso, nos colocamos à sua disposição! Solicite a visita de um de nossos Consultores Especializados agora mesmo.

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Operação 404: um esquema de pirataria digital que gera milhões de reais em prejuízo começa a ser combatido pela Polícia Civil.

Operação 404: um esquema de pirataria digital que gera milhões de reais em prejuízo começa a ser combatido pela Polícia Civil. Que atire a primeira pedra quem nunca baixou um álbum antes de ser lançado ou um filme que ainda estava nos cinemas porque não se aguentou de ansiedade para usufruir do material. Mas saiba que essa atitude aparentemente inocente pode corroborar para a manutenção de uma estrutura criminosa.  

 

Operação 404: o que é?

Deflagrada no começo do mês de novembro pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública em parceria com a Polícia Civil, a Operação 404 visa combater a distribuição criminosa de conteúdos audiovisuais. O objetivo é prender os responsáveis por sites e aplicativos piratas, que disponibilizam gratuitamente conteúdos como séries e filmes sem autorização das produtoras, e por serviços ilegais de TV por assinatura, os famosos “gato-net”. 

O nome da operação é uma clara referência ao erro 404, que acontece quando uma página da web não pode ser encontrada. Os responsáveis trabalham para que esses e outros materiais piratas sejam ocultados em sites de buscas e que seus conteúdos sejam desindexados, uma medida semelhante a que tem sido tomada no combate às fake news. Além disso, os sites e páginas em redes sociais desses falsos streamings estão sendo removidos. 

Mesmo em funcionamento no Brasil, os servidores responsáveis pela transmissão dos conteúdos piratas vinham de países como Canadá, Estados Unidos e França. Ao todo, 30 mandados de busca e apreensão foram expedidos. Os primeiros alvos da Operação 404 estavam espalhados entre 12 estados. A região campeã foi o Nordeste, que registrou buscas em quatro estados. No entanto, São Paulo registra o maior número de mandados expedidos. Já no primeiro dia da ação, oito pessoas foram presas em flagrante. 

Na noite de 1 de novembro, data que marcou o início da Operação 404, mais de 200 serviços ilegais já haviam sido derrubados, entre eles, 100 aplicativos móveis disponíveis em lojas virtuais e 136 sites da internet. A estimativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública é que o número de endereços removidos chegue a 210. 

 

Operação 404: “o foco não são os consumidores”

Em coletiva de imprensa, o delegado Alessandro Barreto fez questão de frisar que a Operação 404 tem como foco punir as pessoas que disponibilizam esses materiais de forma ilegal e, não, quem baixou ou assinou esse tipo de serviço. Segundo o agente, que é  coordenador do laboratório de operações cibernéticas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, existiram consumidores que também foram enganados e chegaram a prestar reclamações formais contra os serviços. 

De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Cinema (ANCINE), o prejuízo gerado ao país graças ao consumo de pirataria online chega a 9 bilhões de dólares. Além das mensalidades, os criminosos conseguem obter lucros graças a vendas de espaços de publicidade nos sites e aplicativos. Os valores gerados com a prática ilegal não foram divulgados.

As possibilidades para combate do crescimento dessas ferramentas têm sido estudadas. A principal delas, de acordo com Alessandro Barreto, é a confecção de um manual de boas práticas de propaganda e uma lista de sites “non-gratos” onde as marcas devem evitar realizar publicidade. Essa seria a forma mais eficaz, já que criariam empecilhos para os anunciantes, uma das principais fontes de renda desses sites e aplicativos. 

Os responsáveis também planejam uma campanha de conscientização para a população sobre o uso desses serviços. Além de causar prejuízo financeiro para o país, as atividades ilegais podem gerar diversas dores de cabeça para os usuários, como vírus, cobranças indevidas e danos aos dispositivos físicos. 

Em entrevista à Agência Brasil, Eduardo Luiz, coordenador de combate à pirataria da ANCINE, as operadoras clandestinas reduzem em até 150 mil as vagas de trabalho nas empresas legalizadas de televisão fechada, um dano evidente a um país com 12,5 milhões de desempregados. 

 

Città Telecom

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube